Pin It

Saúde da pele

Entendendo o que o sabão faz na sua pele

A verdade sobre o que o sabão faz para sua pele cosméticos: Dependendo dos tipos de produtos de limpeza que você usa, lavar o rosto pode causar mais danos do que benefícios. Grande parte do problema vem de como nos ensinaram a lavar e os sentimentos que vêm associados à limpeza.

No passado, muitas vezes nos foi dito que bons cuidados com a pele significavam ter a pele firme após uma lavagem adequada. Ao conseguir isso, sabíamos com certeza que tínhamos tirado toda a sujeira e óleos desagradáveis ​​que poderiam bloquear nossos poros.

Nós, então, seguiríamos usando um bom adstringente para garantir que nenhum vestígio de óleo ou pele morta fosse deixado.

Essa rotina no papel soa muito bem até que, é claro, no dia em que o óbvio acontece: começamos a perceber que nossa pele não é apenas firme, mas seca, coçando e inflamada.

Agora é a hora de começar a recalibrar o nosso pensamento e dar uma boa olhada em como os sabonetes realmente afetam nossa pele.

Como funciona o sabão

Sabonetes e produtos de limpeza facial são projetados para remover sujeira, suor sebo e óleos da pele. Eles o fazem com o uso de surfactantes, agentes químicos que envolvem a sujeira e o óleo, dissolvendo-os e facilitando a lavagem da água.

Eles também ajudam no processo de esfoliação natural da pele, removendo as células mortas da epiderme (a camada mais externa da pele).

Os surfactantes têm muitas funções diferentes: atuam como detergentes, agentes umectantes, agentes espumantes, agentes condicionadores, emulsificantes e solubilizantes.

Além de sabonetes e produtos de limpeza facial, os surfactantes também podem ser encontrados em loções, perfumes, xampus e uma infinidade de outros produtos capilares e corporais.

Enquanto os surfactantes encontrados no sabão são feitos para deixar a pele fresca e limpa, nem sempre é o caso. Alguns surfactantes têm um efeito adverso sobre a camada mais externa da epiderme chamada estrato córneo, não só causando os três sinais de danos (secura, vermelhidão, irritação), mas prejudicando a função de barreira natural da pele.

Ao fazer isso, toxinas, bactérias e outras substâncias nocivas são capazes de penetrar mais profundamente na pele, onde podem causar danos a longo prazo.

Como o sabão afeta a biologia da nossa pele

O estrato córneo é composto de camadas de queratinócitos mortos, ou células de proteínas, que estão constantemente sendo eliminadas. Uma vez que uma única camada de queratinócitos atinge a camada mais externa, eles se tornam corneócitos.

Quando isso acontece, a célula perde o núcleo e o citoplasma e fica dura e seca. Os surfactantes se ligam a essas proteínas e os hidratam, fazendo com que elas inchem.

O inchaço permite que os ingredientes do limpador penetrem mais facilmente nas camadas mais profundas da pele, onde podem interagir com as terminações nervosas e com o próprio sistema imunológico, levando a coceira e irritação.

Além disso, à medida que a água evapora da pele, os corneócitos se tornam ainda mais secos do que nunca, já que os surfactantes efetivamente retiram a pele do seu fator natural de hidratação (NMF).

Os efeitos dos surfactantes nos lipídios

O estrato córneo também contém lipídios que ajudam a pele a reter a umidade. Embora o efeito exato dos limpadores sobre essas células de gordura ainda não seja totalmente compreendido, acredita-se que os surfactantes são capazes de se interpor entre as bicamadas lipídicas. Estas são as células de gordura que envolvem e fornecem uma barreira protetora para todas as células.

Quando isso acontece, as células podem se tornar mais permeáveis ​​e vulneráveis ​​a danos. Os surfactantes também podem danificar as estruturas lipídicas, causando uma redução das gorduras nas camadas externas da pele.

Sabonetes e níveis de pH

Os surfactantes são amplamente divididos em duas categorias: surfactantes à base de sabão e surfactantes à base de detergente sintéticos (também conhecidos como syndets).

Limpadores à base de sabão tendem a ter um nível de pH em torno de 10, tornando-os muito mais alcalinos do que os syndets, que normalmente têm pH de 7 ou menos. Pela sua própria natureza, níveis mais altos de pH levam à irritação, causando um desequilíbrio com o pH natural da pele de 5,5.

Uma palavra de Dsau

Escolhendo o limpador certo para o seu rosto não deve ser uma tarefa, mas às vezes é. Como regra geral, geralmente é melhor descartar o sabonete em barra tradicional , especialmente se você tem pele seca ou sensível.

Limpadores faciais líquidos e lavagens corporais são geralmente melhores escolhas, já que tendem a ter um pH mais baixo e muitas vezes incluem hidratantes chamados emolientes que podem neutralizar qualquer secura que os sabonetes tradicionais possam causar.

Ao lavar, evite a água quente e escaldante e tente não encharcar a pele por períodos prolongados. Isso só aumenta a secura removendo ainda mais o NMF da pele. Quando terminar, sempre lave a pele seca ao invés de esfregar vigorosamente.

No final, quanto mais gentilmente você tratar a sua pele, mais você a ajudará a manter sua suavidade natural, resiliência e umidade.

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.