Sistema Nervoso

Sintomas e Tratamento da Esclerose Lateral Primária (PLS)

A esclerose lateral primária (PLS) é uma doença degenerativa progressiva do neurônio motor. PLS afeta as células nervosas do corpo que controlam o movimento voluntário dos músculos, chamados neurônios motores.

Com o tempo, esses neurônios motores perdem sua capacidade de funcionar, causando fraqueza e rigidez indolor, porém progressiva, dos músculos.

Não se sabe por que a PLS ocorre ou exatamente como as células nervosas são destruídas. A esclerose lateral primária parece começar após os 40 a 50 anos de idade. Não se sabe quantas pessoas no mundo são afetadas pelo PLS, mas é muito raro.

Esclerose lateral primária (PLS) – Sintomas e causas

A perda de células nervosas faz com que os músculos se tornem duros e difíceis de se mover. Normalmente, os problemas musculares começam nas pernas e sobem pelo corpo até o tronco, braços e músculos do rosto e pescoço.

A progressão do PLS varia de caso para caso – alguns podem progredir rapidamente dentro de alguns anos ou lentamente ao longo de algumas décadas.

Sintomas iniciais. Em muitos casos, o primeiro sintoma de PLS é fraqueza muscular e rigidez nos membros inferiores. Outros sintomas iniciais incluem:

  • Uma perna geralmente é mais afetada que a outra, com progressão lenta para a outra perna
  • Movimentos lentos e rígidos das pernas devido a espasmos musculares involuntários (espasticidade)
  • Dificuldade em andar e manter o equilíbrio, como tropeçar ou tropeçar
  • Cólicas dos músculos afetados
  • Falta de jeito geral

Sintomas Progressivos. Indivíduos afetados podem ter cada vez mais dificuldade em andar. O uso de uma bengala ou dispositivo similar para auxiliar na caminhada pode ser necessário.

Em alguns casos, outros sintomas podem preceder o desenvolvimento de fraqueza muscular nas pernas. Outros sintomas podem incluir:

  • Espasmos musculares nas mãos ou na base do cérebro.
  • Espasmos musculares dolorosos nas pernas, costas ou pescoço
  • Problemas para mover os braços e fazer tarefas como pentear o cabelo ou escovar os dentes
  • Dificuldade em formar palavras (disartria) ou falar
  • Dificuldade em engolir (disfagia)
  • Perda de controle da bexiga no final da esclerose lateral primária

Os sintomas pioram lentamente ao longo do tempo.

Diagnóstico

Não existe um teste específico para esclerose lateral primária, portanto, na maioria das vezes, o diagnóstico ocorre como resultado da eliminação de outras possíveis causas dos sintomas.

Como a esclerose lateral amiotrófica (ELA, ou doença de Lou Gehrig) é mais conhecida, e como as duas doenças freqüentemente manifestam sintomas semelhantes, a PLS é frequentemente confundida com a ELA.

Tratamento

Não há cura no momento para a PLS, por isso o tratamento é focado no alívio dos sintomas do distúrbio. O tratamento para PLS inclui:

  • Medicamentos como baclofeno e tizanidina para reduzir espasmos musculares
  • Tratamento medicamentoso para lidar com a perda do controle da bexiga
  • Terapia física e ocupacional para ajudar a reduzir espasmos, melhorar a mobilidade e fornecer dispositivos para ajudar a andar e comer
  • Fonoaudiologia para ajudar a falar
  • Órteses e palmilhas para aliviar problemas de marcha e pé

Apoio, suporte

A esclerose lateral primária traz incapacidade progressiva e perda de função, mas não afeta a mente ou encurta a vida dos pacientes diretamente. Por essa razão, grupos de apoio, como a Fundação Paraplégica Espástica, para pacientes e suas famílias, são essenciais para se adaptar às cargas físicas e emocionais da doença.

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. paulo olices dinamarco disse:

    Gostei dos comentários sobre PLS, E SENDO UM PORTADOR DA ESCLEROSE LATERAL PRIMÁRIA gostaría de saber se o tratamento com NEUROMODULADOR´,
    pode melhorar a espasticidade e em conseguencia o equilibrio.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.